sexta-feira, 18 de julho de 2008

A culpa é da cueca

Assustei. Hoje dei conta que o tamanho médio não me pertence mais. Há um tempo desconfiava. Dias atrás já havia descoberto que o número 40 também não faz mais parte do meu cotidiano. Algumas calças 42 também reclamam um pouco da minha cintura.

Definitivamente tenho de voltar para a academia. No começo do ano ensaiei, mas não fui em frente. Entrei de férias e adiei para a volta ao trabalho. Nada. Há sempre a desculpa do tempo. E olha que malhei dois anos seguidos. Quando programas como o Globo Repórter ressaltam que estamos sedentários, mais culpado fico.

Descobri este ano que os 24 anos ficarão marcados para sempre na minha vida. Foi quando percebi que o metabolismo de adolescente se foi. Agora ganho peso facilmente. Virei o que chamam de falso magro. Várias pessoas vieram me elogiar, dizendo que estava mais bonito. Foi só porque, por fim, ganhei massa corpórea. Da ruim.

Primeiro fiquei triste porque me dei conta de que todos me achavam esquálido. Depois cai na real que estou em uma fase de transição, se não me cuidar. Imagino que na mesma toada os elogios começarão a minguar, para dar espaço a outro tipo de comentário. Aliás, dia desses uma colega de trabalho disse, em tom de brincadeirinha com pitada de maldade: "Rodrigo, barriguinha não".

Nas férias, na farmácia com o meu pai, descobri que estou pesando dois quilos mais que ele. Sou 32 anos mais novo e só cinco centímetros mais alto. 77 quilos cravados. E toda essa "ficha caída" é culpa de uma peça de roupa. Há mais ou menos duas semanas comprei, todo empolgado, uma daquelas cuecas boxer. Vesti pela primeira vez hoje. Quando me olhei no espelho, como nunca antes aconteceu, olhei e soltei aquela frase típica de adolescente. "Que balofo. Está ridículo!".

5 comentários:

Rainer Sousa disse...

Malditas dicotomias...

Resista, Rodrigo!

Não se entregue ao conforto derrotista daquela maldita samba-canção de seda com desenhos geométricos injustificados.

Deire Assis disse...

quero te desanimar não, mas...

Hebert Regis disse...

Caramba Rodrigo, tá pesando 72?!!kkkkkkkkkkkkk. Eu assisti o Globo repórter, deu vontade de sair correndo toda manhã. Alguns momentos de bombeira desencadeado pelo ótimo discurso jornalístico. Continuo firme no meu sedentarismo. Vou tentar mudar isto. Tentar animar a correr todo o dia. Espero que consiga arranjar um tempinho para se exercitar. Abração.

Erika disse...

Eu particularmente acho que vc já tá lindo e gostoso...hehehe. Mas claro que 72 é seu limite, não vá passar disso!...rs.

Anônimo disse...

auhauhuahuah! não pude deixar de rir!
Preciso é deixar o sedentarismo... mas o que fazer com a falta de tempo?

Beijos

Núbia - nubibella.blogspot.com