sábado, 28 de abril de 2007

Uma Páscoa Multireligiosa

Depois de pouco mais de um ano, estive dentro de uma igreja de novo no último domingo de Páscoa. Assisti à missa de sétimo dia da minha avó materna. De família tipicamente goiana desde pequeno fui criado sob os ritos da Igreja Católica. Quem me conhece sabe que há pouco mais de cinco anos decidi que não iria mais freqüentar nenhum tipo de instituição religiosa, por convicção de que este tipo de fé já não mais me pertencia.

Ainda bem que quando mais o tempo passa mais maduros e sábios ficamos. Se estivesse na mesma situação há cinco anos tudo seria diferente. Talvez teria uma daquelas célebres reações de garoto-sabe-tudo e menosprezaria o ambiente religioso, julgando tudo um engodo dos bispos. Verdade ou não, isso já não me importa mais.

Para ser franco, o fato dos católicos celebrarem sua religiosidade com a cara de quem está indo para forca, com grande pesar nos ombros, até hoje me incomoda muito. A maioria nem presta a atenção no que está fazendo. Assim foram ensinados. Paciência!

Há tempos estou no que gosto de chamar de estado de suspensão, do qual talvez nunca saia. Trata-se daquele espírito de quem não crê e nem descrê. Já disseram vários cientistas que até mesmo os ateus têm sua religião – alguns encaram a ciência como a sua. Ou seja, todo mundo que vive crê em algo, mesmo que seja somente na “verdade” de átomos e moléculas. Posso até me encaixar em um rótulo, mas odeio ser chamado de ateu ou agnótisco.

O que passei a achar, ironicamente, é que bem ou mal a Igreja talvez tenha sido e, na maioria esmagadora dos casos continua sendo, muito pertinente à humanidade. Tem todos os defeitos do mundo possíveis em uma instituição fundada e mantida por homens. Mas como seria uma mundo sem igrejas? As pessoas seriam capazes de julgarem, a princípio, por si próprias, o que é bom ou não, se não tivessem que ter medo do Papai do Céu? Sinceramente, minha fé na "bondade inata" da humanidade nunca foi forte...

O alento é que, com todas as suas falhas, o Universo que criou o homem teve sabedoria de implantar nele crenças que, mesmo com graves efeitos colaterais como guerras religiosas fudamentalistas, conseguem regular a moral e levar muita gente por aquilo que se chama de “caminho do bem”.

Se eu criaria meus filhos como meus irmãos e eu fomos criados dentro da igreja? Sim, se isso fosse muito importante para a mãe deles. Caso contrário, não, mesmo sabendo que me norteio em princípios de bondade e ética, por ter sido criado dentro de igreja – obviamente por mérito dos meus pais e não dos senhores de batina. Quero mostrar a eles que se pode acreditar no que sua necessidade permite ou a intuição manda. E que esta é a beleza de um mundo de muitas religiões, sejam elas no sentido bíblico ou não.

3 comentários:

Ana Carolina disse...

Igrejas... A Catedral é uma bela Igreja, apesar de não ser muito agradável assistir missas nela, por causa da arquitetura que não colabora muito. Religião, religiosidade e fé são coisas tão complicadas de serem compreendidas. Mas essa multiciplicidade de credos transforma o mundo em encanto.

Did disse...

Engraçado vc falar sobre Igrejas, necessidade de fé, norteio para as nossas vidas. Já estive em crise uma vez também, mas nada foi melhor que minha própria família pra me mostrar que amor com amor se paga e que, sob os preceitos da Igreja (sou católica, no caso), esse amor se fortalece e nos une cada dia mais. Pra mim continua sendo um aprendizado constante, mas aí é claro que temos de sair do piloto automático que nos ensinaram a acionar nas missas e nos concentrarmos em seu verdadeiro sentido e em tudo que está sendo transmitido!

Bjim
Did

Lorena Verli disse...

Estava com saudades de ver "você" por aqui. Já tinha vários meses que seus textos eram sobre os outros. Eu compartilho com você a idéia de que a igreja não é fundamental para que uma pessoa seja repleta de bons pensamentos. Também vejo pessoas cumprindo um ritual e não sentindo prazer em ir "comunhar" com Deus. Este é o ser humano, percorrendo a trilha da vida sem questionar nem os ondes e nem os porquês. Estou com saudades de você!!!!!