sexta-feira, 11 de julho de 2008

No Araguaia, lado B

Este ano fui escalado para cobrir um local novo na temporada do Araguaia. Ao invés da tradicional Aruanã, vim para Aragarças e Barra do Garças (na verdade estou hospedado nesta última). As duas cidades são muito interessantes, já que são siamesas.

Que vê as duas de cima, do alto do Cristo Redentor (sim, também há um aqui) que fica do lado da Barra, pensa que na verdade trata-se de uma só cidade cortada pelo rio. Há, porém, uma clara maior movimentação social e econômica em Barra do Garças, que fica do lado mato-grossense. Enquanto Aragarças fica no lado goiano e ainda luta para perder a pecha de cidade dormitório. Barra leva o nome do rio que se encontra com o Araguaia, bem entre a duas cidades, o Rio Garças.

Já Aragarças, descobri eu, tem o nome de uma mistura entre Araguaia e Garças. Não dá para negar que são criativos. A novidade na minha participação na cobertura deste ano foi empolgante justamente porque estou conhecendo um local sobre o qual tinha uma parca noção, formada vagamente por pílulas de informação. É isso que me atrai na profissão de jornalista.

Hoje o trabalho foi duro e estou moído. No hotel, acabei de enviar a primeira das três matérias que iria enviar ao longo deste fim-de-semana. É gratificante abrir o jornal no outro dia e ver que o trabalho ficou legal. Espero que neste ano fique bem bacana, como tem sido nos últimos anos.

No mais vou ficando por aqui porque ainda tenho que acompanhar o movimento da noite e preciso descansar um pouco. Uma dura jornada de mais dois dias de trabalho me espera. Até.

Um comentário:

Erika disse...

Oi, lindinho! que bom que está descobrindo as belezas do lugar. Só não vá descobrir a vida noturna....hehehe. Volta logo! Te amo