terça-feira, 15 de setembro de 2009

O que o Orkut diz sobre seu lado profissional

Recebi um release jornalístico muito interessante sobre comportamento profissional e Orkut (ou similiares, como Facebook). São lições sobre a imagem pública que se pode criar nestes sites e que poucos se dão conta e muitos aprendem na prática, às vezes da pior maneira.

Muito utilizado pelos brasileiros, o Orkut tem muito a dizer ao seu chefe ou ao seu próximo chefe. É o que garantem especialistas em recursos humanos. Como é possível acrescentar qualquer informação no seu perfil e participar das mais diversas comunidades, você pode estar causando má impressão.

"O problema é quando isso invade a vida profissional", explicou Renato Grinberg, diretor Geral do portal de empregos Trabalhando.com.br, no material que recebi. “Comunidades como ‘Eu odeio trabalhar’ e ‘Detesto receber ordens’, por exemplo, podem agregar valor negativo à imagem do funcionário.”

Por isso, é preciso tomar cuidado com o que é colocado na internet. O Orkut, em especial, que domina as redes sociais no Brasil, tem aproximadamente 18 ilhões de usuários no País, segundo o Google. É o correspondente a 51% dos usuários da ferramenta em todo o mundo.

Para que não se prejudique, Renato Grinberg apresenta perfis comuns entre os usuários que precisam ter atenção redobrada para não comprometer a imagem profissional. Ele alerta: “Caso se identifique com alguns deles, cuidado! Pode estar na hora de mudar”.


O preguiçoso – É aquela pessoa que diz odiar acordar cedo e assume não gostar de trabalhar. Normalmente, o preguiçoso participa de várias comunidades que visam confirmar essa característica. As mais comuns são: “Eu odeio acordar cedo” e “Se trabalho fosse bom não era pago”;

O acomodado – “Se nada der certo viro hippie”. Quase 300 mil pessoas compartilham do mesmo desejo caso seus planos não vinguem no futuro. O acomodado não possui ambição de crescer profissionalmente e está feliz na posição que ocupa na empresa. A impressão que passa ao chefe ou recrutador é de que essa pessoa não tem visão de futuro que possa contribuir para o crescimento da companhia;

O bitolado – Essa é uma pessoa que gosta somente de uma coisa em específico. Pode ser um gosto musical, ideais e até mesmo uma única visão para a área de atuação. Isso é revelado nas diversas comunidades que participa sobre o mesmo tema, nas fotos e também na descrição do perfil escrita pelo usuário. Todos temos preferências, mas é preciso tomar cuidado para não parecer inflexível;

O baladeiro – Ele faz questão de mostrar a todos que gosta – e muito – de festas. Até então não há problemas, essa é uma questão pessoal que não influencia no trabalho. Mas a questão se agrava quando a situação é exagerada e as comunidades mostram irresponsabilidade. Como por exemplo: “Da balada ao trabalho” e “Eu trabalho de ressaca”. Com isso, essa pessoa mostra ser irresponsável e que não se importa com bom desempenho no dia seguinte;

O reclamão – É aquela pessoa que reclama de tudo: da vida, do trabalho, dos compromissos, dos chefes e até mesmo dos amigos. Normalmente adere a diversas comunidades que começam com “Eu odeio”, é pessimista e nunca está satisfeita. Imagine se o seu chefe olha seu Orkut e, de repente, encontra a comunidade “Eu odeio meu chefe”. O mais curioso é que as pessoas já sabem que correm esse risco e aderem à “Socorro, meu chefe está no Orkut!”. Assim sendo, é melhor rever seu perfil para que seu trabalho não seja comprometido.

Fonte: Image Press - Assessoria de Imprensa

2 comentários:

Helen Fernanda disse...

De vez em quando tenho que fazer faxina nas minhas comunidades. Além daquelas em que entro por empolgação, há ainda as que são vendidas e mudam de nome, causando ainda mais constrangimento. o_O

Dani Seiler disse...

Que ridículo...
Imagine que agora as empresas estao investigando sua vida no orkut pra saber quem realmente vc é...
Muitas das vezes vc participa de uma comunidade pq um amigo criou e vc para ñ ser mal educada acaba aceitando....

Mas eu acho invasão de privacidade...claro que no orkut vc ñ tem privacidade, o que quero dizer que o orkut é uma coisa fora do trabalho e se uma empresa usa esses métodos, para mim sao empresas que ñ tem critério nenhum....

Legal o post!